MASUTATSU OYAMA E O KARATE DE CONTATO

           Masutatsu Oyama nasceu num aldeia próxima da vila de Gunsan, na Coreia do Sul, em 27 de Julho de 1923, e o seu nome originalmente era Hyung Yee-Choi. Ainda jovem foi mandado para a Manchúria, no sul da China para viver com a sua irmã e iniciou os seus treinos nas artes marciais. O seu primeiro mestre foi Yi, com quem aprendeu um estilo de Kempo chamado de Chakuriki (também conhecido como Dezoito Mãos ou Dezoito Técnicas).

Ainda em sua terra natal, Hyung Yee-Choi treinou artes marciais locais, como o tae-kyon e o tae-kwon-pup (raízes que futuramente originaram o Taekwondo). Nessa época, o principal modelo do jovem Oyama era Otto von Bismarck, (unificador da Alemanha). "Queria ser o Bismarck do Oriente. Então, saí de casa aos 13 anos e fui para Tóquio".
           Mudando-se para Tóquio, com intuíto de estudar, encontrou uma família de origem coreana, à qual ele alugou um quarto. Foi nesta época que alterou seu nome coreano para um nome japonês: Masutatsu Oyama e se alistou para servir na força aérea japonesa, na intenção de se tornar piloto, mas antes que ele pudesse entrar em acção o Japão declarou sua rendição.
           Na capital japonesa, Oyama praticou inicialmente o judô con Jigoro Kano e Masahiko Kimura (Kimura foi o grande lutador que derrotou Hélio Gracie) e ostentava o título de 4to Dan.

           Durante o serviço militar continuou os seus treinamentos nas artes marciais, obtendo 1ro Dan em Karate aos 15 anos e 2do Dan aos 18 anos. Após o fim da II Guerra Mundial, Oyama já era 4to Dan de Karate. Também treinou Kenpo de Okinawa por três anos (onde compreendeu as raízes do Karate).
           Com grande dedicação as artes marciais, rapidamente se tornou um especialista, treinou vários estilos em busca de conhecimento, inclusive o Daito Ryu Aiki Ju-jitsu com Yoshida Kotaro (de quem recebeu o título de Menkyo Kaiden). Num tempo de penúria e desemprego começou a trabalhar como guarda-costas de um grupo marginal, pois dessa forma conseguira dinheiro de maneira mais fácil.
           Matriculou-se na escola de karate shotokan. "Pratiquei o shotokan, mas já duvidava de sua abordagem linear. Não gostava da idéia de controlar minhas técnicas. Era rígido demais para mim, então saí". Oyama deixou o dojo Shotokan dois anos depois. Passou a dedicar-se, então, ao goju-ryu e ao estudo Zen.

Nessa época foi preso pelas autoridades americanas, durante 6 meses após agredir soldados norte-americanos, uma vez que os Estados Unidos haviam ocupado o Japão após o término da II Guerra Mundial. "Nunca esquecer que no caminho das Artes Marciais, as recompensas serão abundantes somente com dedicação e aplicação."
           Enquanto estava preso Oyama leu o livro Miyamoto Musashi, da autoria de Eiji Yoshikawa, o que fez com que ele reflectisse sobre as suas acções, no sentido que sua vida havia tomado e no que fazer deste momento para a frente, pois quando o Japão se rendeu Oyama havia perdido o brio patriótico que o guiava.

           Após ser libertado Oyama foi directamente para as montanhas (Monte Minobu), onde se encarregava de diversos trabalhos domésticos, como cortar lenha, transportar água, entre outros. Como considerava que não tinha tempo suficiente para treinar, Oyama voltou a Tóquio após 3 meses no Monte Minobu (Algumas fontes citam que Oyama foi preso por matar um homem somente com um soco, revidando um ataque de Katana pelo mesmo, seu primeiro exílio foi para ajudar a família desse homem, por causa de um sentimento de profundo de remorso).
           Foi após seu retorno que Oyama decidiu dedicar-se única e exclusivamente ao Karate. Após seu retorno à civilização, lutou e sagrou-se campeão no ano de 1947 no All Japan Karate Tournament, realizado em Quioto, no Maruyama Kaikan.

           Depois deste campeonato, Oyama isolou-se novamente nas montanhas, porém desta vez foi para o Monte Kiyosumi. Oyama treinava lutando com árvores e praticando meditação sob cascatas congeladas, bem como realizando 100 repetições das Katas por dia.
           Esse exílio voluntário teve início no ano de 1948, teve a duração de dezoite (18) meses. "Todos que se dedicam a uma causa devem passar por um período de isolamento. Meu treinamento cotidiano começava bem cedo, com uma sessão de purificação espiritual sob as águas geladas de uma cascata. Depois, eu voltava correndo à minha humilde moradia para continuar o treino. Mudava pedras e troncos de árvores de lugar, mergulhava nas torrentes geladas. E terminava o treino matinal com nova sessão de meditação. A tarde era dedicada à prática do karate. Instalei makiwaras nos troncos das árvores e os golpeava durante várias horas, com os punhos e com os pés. Exercitava também o quebramento até que o estado de minhas mãos me impedisse de continuar."

           Um aluno de Oyama acompanhou-o neste árduo treino, mas após seis meses fugiu durante a noite, pois a solidão era muito grande. Um dos artifícios utilizados por Oyama para não regressar à civilização era raspar uma sobrancelha, pois desta forma ele teria vergonha de ser visto. "A verdadeira essência das Artes Marciais só poderá ser realizada através da experiência, o segredo e mistério está em ganhar experiência."
           Após seu retiro nas montanhas, Mas Oyama viajou pelo mundo demonstrando o seu estilo, sendo o maior divulgador do Karate fora do Japão. Em Abril de 1952 viajou para os Estados Unidos, a convite da Chicago Pro Wrestlers Association, onde lutou com mais de 270 lutadores, vencendo todos seus oponentes e em grande parte de suas lutas vencia-os apenas com um golpe. Esta viagem que estava planeada para ser uma viagem curta durou 10 meses e Oyama percorreu 32 estados no território americano, Canadá, Cuba e México. Boatos diziam que Oyama achava as lutas dos americanos engraçadas por causa do simulação, e que os lutadores eram muito fracos.
           "Na verdade, não tinha vontade de partir nessa turnê. Desgostava-me aceitar dinheiro por demonstração de Budo, mas era preciso viver. Ofereciam-me 100 dólares por semana e todas as despesas pagas. Para o pós-guerra, no Japão, era uma fortuna. Eu era muito forte nesse tempo. Poderia ser campeão de atletismo, mas tudo que me interessava era o karate."
           Após voltar da tourne, Oyama começou a organizar o que seria seu primeiro duelo com um touro, más antes foi a diferentes matadouros da prefeitura de Shiba, a fim de testar seu poder de golpe. Depois de várias tentativas cuidadosas, ele conseguiu abater o primeiro touro. A técnica consistia em desferir um golpe com o punho direto (tsuki) sobre a fronte do animal.

           Em 1950, pela primeira vez, Oyama enfrentou um touro em uma arena. O animal dobrou sob o efeito do primeiro tsuki, mas Oyama não conseguiu acabar com ele. Tentou um golpe circular com a mão (mawashi-shutô-uchi) e quebrou os chifres do animal. Depois disso, realizou o feito em vários países como nos Estados Unidos e méxico. Um desses confrontos foi filmado pela Shochiku Motion Picture.
           Em sua vida, Oyama enfrentaria cinquenta e dois (52) touros ao total , matando três (3) e retirando os chifres de outros quarenta e nove (49). Em 1957, Oyama foi ferido gravemente num dos seus combates com um touro e ficou hospitalizado durante seis meses no México.
           Oyama decidiu reviver um teste extremo da resistência física e mental, uma antiga prova praticada nas escolas de Kendo, Judo e Budo em geral, a Prova dos Cem (100) Combates (Hyakunin Kumite). Como sempre Oyama foi além, lutou por três dias consecutivos, cem combates a cada dia. Oyama saiu seriamente ferido de uma das provas, mas venceu todas elas, mostrando assim a eficácia de seu árduo e intenso treinamento, inclusive a eficiência do método que futuramente seria criado pelo mesmo.
           Em 1954 fundou o sua primeira escola (Oyama Dojo). O estilo Kyokushin foi fundado somene três (3) anos mais tarde, em 1957. Oyama viajou pelo mundo na década de 60 para divulgar o Karate Kyokushinkaikan. Em 1965 a International Karate Organization foi oficialmente estabelecida, quando terminaram as obras de construção do prédio (construído especialmente para funcionar como sede oficial da Organização). Escreveu alguns livros de grande sucesso, principalmente nos Estados Unidos e na Europa (é possível que muitos livros não foram traduzidos ou publicados).

          
           Oyama faleceu em 26 de Abril de 1994, aos 70 anos de idade, devido a um cancro do pulmão, deixando um grande legado. Através de uma suposta carta / testamento, nomeou Akiyoshi Matsui (5º dan) para gestão da organização. Por tal motivo, alguns membros mais graduados que Matsui, não aceitaram essa decisão do testamento de Sosai Oyama, alegando que a carta testamento havia sido forjada (tal documento viria mais tarde a ser provado pelo tribunal nipónico, de acordo com queixa apresentada alguns Branch-chiefs e pela família de Sosai). Certamente por esse motivo muitos membros saíram da Organização, fundando as suas próprias Organizações, algumas delas utilizando o mesmo nome.

           Independente da questão política, hoje em dia, existem vários estilos e dissidências oriundas do estilo original. Cada organização ou estilo acrescentou suas características e peculiaridades como: Regras, modalidades e filosofias, tudo com intuíto de diferenciação e evolução da arte.

PRINCIPAIS ESTILOS DE KARATE





















Todos os direitos reservados / Copyright © New.International Seishinkaikan Union - Ring Sports